7 de junho de 2018

Importância da Cor – Paletas de Cores do Cinema

0 Flares 0 Flares ×

Texto por: Isabella Ambrósio – Graduada em Design

Você não pode tocar, ouvir, cheirar ou sentir o gosto do azul ou do vermelho. A cor existe inteiramente nos olhos do observador. Algumas pessoas não enxergam as cores, ou as veem de maneira diferente da maioria, mas geralmente os olhos humanos recebem o mesmo estímulo, que gera a mesma reação visual.

Nossa assimilação das cores varia de acordo com a sua pigmentação, com a intensidade da luz e com a presença de outras cores ao redor. Já o seu sentido é ditado por fatores como: cultura, tradições, tecnologia, indústria etc. Ou seja, são os nossos olhos que nos permitem experimentar uma cor, mas são outros fatores que determinam a sua significação.

As associações de cores são construídas a todo tempo no nosso cotidiano. Por exemplo, a cor é um importante dispositivo de reconhecimento de uma marca. A marca Orange, de telefonia celular, fez uso tanto do nome quanto da própria cor para criar uma marca extremamente bem-sucedida da década de 1990.

Quando um conceito é vinculado à cor, ela passa a ser capaz de carregar atitudes, significações e emoções, é capaz de transmitir mensagens, criar atmosferas e conectar com o observador.

Aqui, podemos citar as fotografias cinematográficas como excelente referência e inspiração para o uso da cor. Na construção de um filme ou de um personagem o uso das cores é primordial. O figurino, a iluminação de uma cena e as tonalidades escolhidas ajudam no desenvolvimento da narrativa e reforçam para os espectadores os climas e sentimentos propostos na história.

 

Antes e o depois da coloração de um filme de produção independente chamado The House on Pine Street.

 

Veja mais alguns exemplos da importância da cor no cinema:

O-regresso

O Regresso, de Alejandro Iñárritu – Vencedor do Oscar de melhor fotografia. O azul, por ser um tom frio, transmite também tristeza, melancolia e isolamento. 

Grande hotel budapeste

 

 

O Grande Hotel Budapeste -  Altamente elogiado pela crítica, o longa foi indicado ao Oscar de melhor fotografia em 2015. O rosa compõe o filme e, associado a tons mais quentes, transmite um ar vintage com uma mistura de romance, fantasia e tranquilidade

 

Para finalizar essa lista de inspirações, chegamos ao filme Divertida Mente.Trata-se de uma animação de 2015 da Pixar, que tenta explicar de forma lúdica e simples coisas relacionadas à mente e às emoções humanas. A combinação de formas e cores foi um dos fatores mais explorados na construção do filme. Quando questionado sobre o desenho dos personagens, o diretor Pete Docter respondeu no Twitter que cada um se baseia em uma forma:

Tristeza – lágrima | Alegria – estrela | Medo – nervo | Raiva- tijolo em chamas | Nojinho – brócolis

personagens-divertida-mente

 

Em um processo de gestalt, a escolha da forma alia-se à cor na formação dos personagens, criando assimilações e atuando na compreensão dos mesmos pelo público.Além dessa influência na composição visual, a cor também é trabalhada no filme pautando aspectos culturais. Os exemplos mais claros do filme são:

- A Tristeza, retratada na cor azul, é associada à expressão em inglês “feeling blue”, que significa sentindo-se para baixo, sentindo-se triste;
- A Alegria, única personagem retratada com duas cores, explora a premissa de que, apesar de opostos, alegria e tristeza também são sentimentos complementares;
- O Bing Bong, elefante de algodão doce rosa, é ligado à infância e a uma sensação agradável.

Depois de analisadas estas referências, concluímos que, levando em conta a significação de uma cor e a influência que ela pode gerar, fica evidente a sua importância em qualquer tipo de comunicação visual. É, portanto, sempre necessário que a cor seja estudada e compreendida para se obter sucesso comunicacional.

 

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×